(11) 94351-9093

Blog

O QUE TEM DENTRO DO SEU APARELHO ELETRÔNICO?

imagem aproximada de chip

Saiba como descartar seu lixo eletrônico

Com o uso diário de nossos dispositivos eletrônicos, poucos nos atentamos a respeito dos seus componentes. Afinal, seja smartphone, tablets ou computadores, todos eles possuem, em sua estrutura, elementos da tabela periódica.

A principal química encontra-se na bateria. Os smartphones geralmente possuem bateria composta por Lítio (Li) em seu polo positivo em conjunto com o óxido de Carbono.

Já no negativo, temos grafite, composto por Carbono (C) e o exterior leva alumínio (Al). Entretanto, as versões mais modernas dos celulares utilizam também outros materiais, contendo mais de 60 tipos diferentes de metais em um dispositivo eletrônico.

Com o avanço da tecnologia, vem juntamente o uso de novos recursos. E isso tem chamado bastante atenção em relação à produção de dispositivos eletrônicos, uma vez que, iniciou-se o uso de materiais denominados grupo dos Lantanídeos, ou como é popularmente conhecido: “metais de terras raras”.

Isso porque o emprego desses elementos, mesmo que em poucas quantidades, pode acarretar em mudanças de físicas, mecânicas e até mesmo químicas.

Dentro do seu celular, podemos encontrar em maior quantidade Prata (Ag), Cobre (Cu) e Ouro (Au). Nos alto falantes é possível encontrar ímãs feitos de Neodímio (Nd), Gadolínio (Gd). Já na parte do microfone, é encontrado um alto teor de Níquel (Ni).

Também não podemos nos esquecer de mais dois metais de terra raras importantes para o seu celular, o Neodímio (Nd) e o Disprósio (Dy) que, por sua vez, dão a capacidade de vibrar aos aparelhos.

No processador do seu smartphone e em outros dispositivos que levam chip, encontramos um componente que marcou um grande passo na indústria em meados dos anos 1970, por ser uma matéria prima muito utilizada na produção dos chips: o Sílico (Si).

A tela touch do seu dispositivo eletrônico tem sensibilidade ao toque devido à química nela aplicada. Tudo graças à condução de eletricidade através de uma película transparente que é formada pela mistura de óxido de índio (In) e óxido de estanho (Sn).

Lixo eletrônico na natureza

É importante ressaltar que o descarte do lixo eletrônico deve ser feito nos locais adequados. Inclusive, os fabricantes destes aparelhos se predispõem a coletar o material.

  • A decomposição dos dispositivos eletrônicos deve ser feita com segurança por conter componentes perigosos ao meio ambiente, tais como chumbo, mercúrio, entre outros;
  • Alguns materiais presentes nos dispositivos eletrônicos levam mais de 450 anos para se decompor na natureza, é o caso dos metais, papel/papelão e plásticos;
  • Já o vidro leva mais de 4000 anos. O alumínio, cerca de 500 anos, e o lixo radioativo mais de 250 anos.

Descarte de elixo

Após tomarmos conhecimento do que são compostos os dispositivos que estão conosco todos os dias, é importante saber e levar em consideração algumas informações para quando chegar a hora de descartá-los.

Vale lembrar que isso não se enquadra apenas a dispositivos eletrônicos, mas também a TVs, computadores, eletrodomésticos de pequeno porte, entre outros.

Para evitar contaminações com estes componentes químicos presentes em todos esses aparelhos, é fundamental destiná-los a uma empresa de reciclagem responsável que fará todo o processo da forma mais segura.

Licença Ambiental